quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Valente #134


- Semana que vem.. finalmente, tudo corre bem para Valente!

Semana passada foi a entrega do Troféu HQMIX. E o livro 'Valente Para Todas' foi o vencedor na categoria Melhor Publicação de Tiras. :D Muito obrigado a quem me indicou, a quem votou e a quem torceu. 

Esse texto aqui embaixo, que escrevi em dezembro de 2010, ainda é 100% o que penso hoje. É muito bom fazer o que tenho feito nesses últimos cinco anos.

Apenas começando a viver o sonho.


The captain of my soul
Há três anos eu decidi sair de um emprego e me arriscar a fazer histórias em quadrinhos. O plano, ou melhor, o sonho era simples: desenhar para a Marvel, ganhar muitos dólares, ser conhecido e dar autógrafos em convenções de quadrinhos por todo o mundo.
Hoje, o meu sonho é outro. Eu quero continuar fazendo quadrinhos, simplesmente porque eu adoro fazer isso.
Hoje, eu quero fazer quadrinhos, não pra ganhar muito dinheiro, ou pra ser indicado a prêmios, nem pra entrar em listas de “melhores do ano”. Dane-se tudo isso. De verdade. Eu quero contar as histórias que eu quiser contar, quando eu sentir que elas devem ser contadas, pra quem quiser lê-las. Histórias que digam alguma coisa para essas pessoas, que toquem elas de algum jeito, que mudem para sempre as vidas delas, nem que esse para sempre seja por alguns minutos.
Hoje, eu quero ser bom de verdade, desenhar tão bem quanto meus artistas favoritos. Mas eu não quero só desenhar. Quero contar histórias diferentes das que eu já leio por aí. Histórias que signifiquem alguma coisa pra alguém, do mesmo jeito que tantas histórias que eu li quando era pequeno significaram tanto pra mim.
Hoje, eu não me arrependo da decisão de três anos atrás. Uma hora a gente tem que olhar pra dentro pra ver o que quer fazer de verdade. Tem que tomar uma atitude, por mais difícil que seja. Não deixar seu sonho ir embora pensando “ainda não é hora” ou “eu não sou bom o bastante”. Tem que arriscar. Porque só quando somos testados é que a gente descobre quem a gente é de verdade. Hoje eu sei quem eu sou, o que eu quero e, principalmente, sei quem eu quero ser.
Vai ser ótimo se um dia eu desenhar uma história do Homem-Aranha pra Marvel ou conseguir me sustentar só fazendo quadrinhos. Mas eu não penso nisso agora. Tô ocupado demais começando a viver o meu sonho.

12 comentários:

Cátia Ana disse...

Parabéns pelo prêmio e pelas palavras (elas sempre me inspiram)!

Henrique Silva disse...

Palavras inspiradoras...

Rodrigo Freitas disse...

Parabéns pelo prêmio, Vitor, merecido e muito!
Ah, e as tiras continuam excelentes e cada vez melhores, como sempre.
Abraço!

GG disse...

Grande texto, Vitor! Obrigado de verdade por compartilhar conosco esse pensamento tão sensível e ter nos proporcionado nesses últimos anos momentos de pureza e dedicação ímpares. Que seus sonhos possam, além de se realizar, crescer cada vez mais, te levando adiante em mais que uma carreira, mas uma vida verdadeiramente feliz. Um grande abraço, fique com Deus! =)

[http://quadrinhospraquemgosta.blogspot.com]

Anderson "ANDF" Ferreira disse...

Parabéns!

Fex disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fex disse...

Arrepiante essa citação do Invictus.

Pedro Oliveira disse...

Cara, você está de parabéns, sua tiras são ótimas, tanto Valente quanto o Pequeno Parker, pode ter certeza que tocaram em vários corações (ou ao menos no meu ;) ).
Continue assim, correndo atrás dos seus sonhos, ótimas palavras (y)

Tassia disse...

Parabéns Vitor! Eu já li e reli "Valente Para Sempre" e "Valente Para Todas" e acho os dois incriveis :)Sucesso pra vc! Beijo

Bruno Rodrigues disse...

Oi, Vitor :-)

Adorei a frase final, 'Tô ocupado demais começando a viver o meu sonho'. Merecia uma camiseta :-)

Infelizmente não poderei ir ao FIQ este ano :-(, mas meu parceiro Thobias (Daneluz) vai, e levando nossa hq 'Ezequiel viu a roda'. Vocês três vão se encontrar por lá, com certeza :-)

Tudo de bom e beijo na Lu :-)

Madhos disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Madhos disse...

O primeiro contato que tive com seu trabalho foi a HQ Laços, que é simplesmente fascinante. Cheguei a pensar que ela fosse um "acerto crítico" na sua carreira, daqueles êxitos extremamente raros frutos de imensa inspiração e ainda maior transpiração.

Hoje, lendo Valente, percebo que eu estava errado. O mesmo espírito que permeia Laços está presente em Valente, e por certo esse é o espírito do autor (e suponho que a Lu partilhe dessa mesma qualidade). Admiro seu talento tanto no desenho quanto na narrativa.

Agora, um pedido: que acha de contar mais a respeito da sua trajetória desde que começou a viver seu sonho? Primeiros passos, desafios, aprendizados e vitórias?